terça-feira, maio 31, 2005

Conteúdo

Face às últimas criticas resolvi criar um post com conteúdo, mais propriamente de um conteúdo que me aconpanha diariamente e que me é necessário: o conteúdo da minha mala.
Enumerando, trago comigo um gloss channel de uma cor rosa primaveril, uma agenda, um i-pod, uma sony p200, um samsung SGH-X450, uma caneta uniball preta, uma pen drive, o frasquito do liquido que verto nos olhos para não me secarem as lentes, as chaves da casa e ocasionalmente do carro, a caixa dos oculos de sol, e a minha carteira de cartões documentos e trocos.

segunda-feira, maio 23, 2005

Jimmy Choo shoes

Desenganem-se as fãs compulsivas dos sexismos citadinos, afinal, um ano passado sobre a morte da série mais aplaudida no emancipado universo feminino trouxe a queda das normas de moda anteriormente proliferadas pelas gurus nova yorkinas. Então não é que os idolatrados Manolos (Manolo Blanik) estão na mó de baixo!? Poisé minhas ricas, a coisa já é sabida…ao que parece, as novas tendências apontam para os excentricamente caros Jimmy Choo na versão Haute Couture do atelier exclusivíssimo do designer em Londres, sim, porque afinal também há por aí uma linha ready to wear, mas as más línguas dizem que está banalizada e pindérica demais…

sexta-feira, maio 20, 2005

Pare e olhe! Nota alguma diferença? Pois é, parece que o design do Romances de Faca e Alguidar mudou mais uma vez, e o que eu vou tentar fazer a seguir é redigir uma curta explicação, que vos elucide acerca dos motivos e posteriores passos que levaram a tão grande reviravolta!
A ideia começou a ser delineada após a adopção do anterior template, a Lu teve um enorme trabalho com ele, mas eu não me sentia bem a escrever sobre uma base com a qual não me identificava minimamente. Assim, alguns dias atrás, decidimos criar um novo design, que não só encaixasse sobre os nossos gostos e preferências, mas que também entrasse segundo os cânones das actuais tendências na vanguarda.
Começamos por folhear uns livrinhos divertidos acerca de html, investigamos uma série de paginas web, estabelecemos bases e acabamos nesta simplicidade extrema de inspiração Terry Richardson, com direito a foto de Patric Shaw e dicas by Lua.

Sem grandes pretensões, permitam-me dizer que me orgulho tremendamente do aspecto final, mas já agora…e porque nós até somos umas miúdas porreirinhas, acrescente aí em baixo a sua opinião!



I feel great!

segunda-feira, maio 16, 2005

o centro hípico

Sentada nas bancadas verdes com vista para o campo arenoso dos saltos de obstáculos, observo as árvores que estão para lá dos pátios. São choupos de ramagem dançante, nuvens verdes a nevar algodão branco e pegajoso que voa no vento e se aloja no chão, nos telhados, nos tejadilhos e limpa pára-brisas dos carros. É bonito mas pega-se à roupa, ao cabelo, às fossas nasais, à laringe e à traqueia e faz-nos tossir e espirrar contínua e cansativamente. Na base das árvores sobressai o brilho do Sol no asfalto por onde ele vai passar para vir ter comigo.
O barulho dos fados de Coimbra é cortado por uma voz roufenha que anuncia o início da prova 1.00m. Um cavalo lusitano todo malhado entra na pista, com um miúdo vestido a rigor para uma prova federada. Este desporto é muito parado, muito calmo, mas é emotivo. Eu gosto, e estar concentrada a assistir a algo que gosto é uma forma de parar de pensar por um bocado e de me abstrair do resto da minha vida, bastante agitada e frenética ultimamente. É um refúgio que hoje vai ser invadido e ser posto em causa.
Não vejo o António há dois meses. É de outra cidade e só nos encontramos nas pausas dos compromissos profissionais que nos levam à cidade do outro. Tem a tarde livre e ligou-me para nos encontrarmos. Liga-me agora dizer que chegou. Não o vi passar na estrada, e ao chegar à entrada do centro hípico e ao ver o brinquedo novo dele percebo porquê.
Damos uma volta, mostro-lhe o sítio e paramos nas bancadas do picadeiro coberto a ver uma aula.
- É desproporcional. É engraçado que este mundo não me diz nada, mas devem haver pessoas a quem este mundo diz bastante e eu às vezes penso que 10 milhões é tão pouca gente, mas não! Cada pessoa é um mundo.
Adoro este homem. Gosto de ser amiga dele, além da relação carnal que há tanto nos une. Como diz a Bo:”a Marilyn disse que os homens não vão embora quando têm aquilo que querem, os homens quanto mais têm, mais querem.” Eu acho que…


terça-feira, maio 03, 2005

boa viagem

Escrevo descrevendo situações, sentimentos e sensações que vou vivendo nas pausas do trabalho.
Não nos vemos há semanas, mas ele transborda de mim para o papel em palavras, ideias e expressões que já são minhas. No radio começa a passar uma musica de um grupo que deu um concerto que fomos ver juntos. Sinto-o aqui ao meu lado a dançar. Estou assim, nostálgica, porque fui hoje a uma loja e o empregado exalava o seu perfume, com tal intensidade que o sentia a abraçar-me. Fiquei tão atrapalhada por senti-lo ali que corei. Sinto saudades.
Pego no telemóvel e mando-lhe uma mensagem. «Estou bem perto de ti.» Telefona-me. Tem três minutos para ir tomar um café. Gosto dele. É meu amigo, meu irmão, meu padrinho. Fodemos às vezes, mas isso não muda nada.
Vou sentir a tua falta, querido.