quarta-feira, abril 13, 2005

habemus blog

Não escrevo para este blog há semanas, desculpem-me os que porventura me lêem. Aproveitei o despojamento forçado deste vicio que é escrever para refectir acerca do que escrevo.
“liberté, égalité, fraternité” foi o slogan da revolução francesa no século XVIII, mas hoje ainda acontecem atrocidades como a mutilação sexual de meninas em algumas comunidades islâmicas e outras não-islâmicas do norte da África e Oriente Médio. Só durante o século XX é que, na Europa, as mulheres puderam votar, puderam trabalhar e serem independentes do pai ou do marido (aka donos?) ou simplesmente puderem ser consideradas vítimas em casos de violação.
Um sistema tão prepotente em relação às mulheres com raízes milenares não se altera facilmente. Não era suposto uma mulher ter prazer, era suposto servir. Como posso eu exigir que um comportamento libertino feminino seja aceite? Não exijo. Estou saturada de abordar a temática da aceitação do meu estilo de vida pela sociedade. Acabou. Que se fodam os valores ocos da população geral!