domingo, abril 10, 2005

Essa Casa que dá Música

Acalmar os nervos dos atafulhados dias em trabalho tem sido uma nova rotina diária. Ás vezes recosto-me no sofá da sala e passo os olhos nas gordas dos tablóides, outras vezes pura e simplesmente caio na cama mais cedo que o habitual e deixo que o sono me cure as rugas de cansaço. No entanto este fim-de-semana a historia foi outra, farta de filas de almoço, filas de trânsito, filas na fotocopiadora, filas de transportes… agarrei no carro e meti-me auto-estrada adentro em direcção ao Porto da evasão!
Na avenida floriam as ramagens dos parques citadinos, nas ruas corriam pessoas com amplas camisolas de algodão, nos cafés os refrigerantes abundavam em cada mesa. E foi aí, exactamente naquele café atulhado da ruela paralela à Rua de Santa Catarina, que presenciei o trocar de palavras, entre dois jovens reformados e uma empregada de mesa sobre o evento do fim-de-semana: a Casa da Musica!
Para os portuenses, sempre preocupados em exaltar todas virtudes das suas raízes, aparece agora um novo orgulho municipal, a que muitos já chamaram a cura para a depressão sofrida com os inúmeros azares do FCP. Um edifício esplendoroso e controverso o suficiente para ser discutido durante semanas a fio, em tudo o quanto é mesa ou paragem de autocarro, pois a sua grandiosidade e os seus ângulos bizarros são tão salientes que à passagem na popular rotunda da Boavista, ninguém lhe fica indiferente. Por isso me interessou aquele vulgar cavaquear, queria saber a opinião de cada um…
Pois bem, fiquei a sabe-la imediatamente, quando um deles ousou dizer que a Casa da Musica “é tão bonita tão bonita, que até é melhor que aquele aquário que fizeram na Expo!”, em resposta eu soltei uma gargalhada que se deve ter ouvido na mesa e talvez por isso um dos senhores olhou-me e perguntou: “E a menina o que acha?” eu disse sorridente: “Acho que o arquitecto, o senhor Koolhaas, construiu uma bela obra!” e a isto ele respondeu arrogante: “Esse não construí nada, quem construiu aquilo fôramos nós, os portuenses!”. Mais palavras para quê?


3 Comments:

Blogger Barão d'Holbster said...

Andamos numa de mudanças?
A vida é assim mesmo, uma eterna adaptação...

4:00 da tarde  
Blogger agarb said...

algo mudou por aqui!

influencias da casa da musica??

:D

beijo doce pras duas*

9:06 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

tits mcdoogle

5:57 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home