segunda-feira, janeiro 03, 2005

areal. Figueira da Foz

Correr desgovernada, ao som dos foguetes que me estoiravam contra o corpo desnudo de maldições e incoerências retrospectivas, libertou-me a emoção de estar viva e sã sobre a areia molhada de lágrimas outrora vertidas…E atender à puta da incoerência que me caracterizou durante toda a noite, percebendo a maldição implícita nas palavras que me disse como sendo verdadeiras e “para meu bem”…fez-me extravasar a insanidade de que sempre necessitei e à qual nunca liguei!

Correr desgovernada, frente ao mar, banhada de luz e sonoridades festivas abriu-me um sorriso que em mim não conhecia e que a mim fazia falta.



Toby Deveson