segunda-feira, dezembro 20, 2004

António


A Marilyn Monroe tinha razão quando disse que “os homens não vão embora quando conseguem o que querem (aka sexo), porque querem sempre mais”.
O António foi o primeiro Peter Pan com quem me envolvi, tenho muito carinho por ele e aprendi imenso com a nossa relação: ele está habituado a mal conhecer as pessoas com quem fode, e já se habituou a preocupar-se apenas com o seu prazer. Eu era muito ingénua (eu já fui ingénua!) e nessa altura preferia dar prazer a tê-lo. Volta e meia quando passa por Coimbra aparece e eu acabo num qualquer ermo a ser sodomizada enquanto lhe chamo puta e lhe grito palavrões.

Começou por me beijar, sem sofreguidão mas com intensidade, e foi-me encostando contra a parede.
“Tiveste saudades minhas?”
“Imensas…”
As minhas mãos percorrem a sua nuca e puxo-o para mim com o antebraço no seu pescoço. Tento segura-lo também pela cintura e arranhar-lhe as costas com as minhas unhas compridas, mas ele agarra-me a mão e faz-me sentir o tamanho da sua virilidade. Desapertei-lhe as calças, puxo toda a sua roupa para baixo e acaricio o seu sexo. Uma coisa que gosto nele é que controla mas não me força a fazer seja o for, e é muito meigo, quase romântico! Toca-me com jeitinho no ombro para me dar a entender o que quer e eu ajoelho-me.
“Não me quero vir já.”
“Então não te venhas.”
Está irrequieto, vai-me obrigando a parar para o beijar. Tento diminuir a sucção, contudo segura o meu cabelo e tenta controlar os meus movimentos. Eu não me importo até ele se empolgar.
“Desculpa, mas isso estimula-me a garganta.” Não consegui evitar dizer, estava prestes a vomitar.
Levanta-se e vem para trás de mim. Sexo!
“Mais força.”, digo em jeito de ordem, aumenta o ritmo.
“Gostas?”
Não lhe devia estar a ser confortável. “Deita-te no chão. haa… Em cima das minhas calças.” Assenti. (foi uma coisa muito gira da parte dele, muito querida.)

Acabamos por nos vir os dois ao mesmo tempo (muito giro!) na posição de cachorrinhos, ele a segurar-me pelas cristas íliacas (ancas), eu a acariciar-me e sim, sodomia.

Passamos uma hora a conversar. Em relação ao António não sou (não posso ser, não me atrevo a ser) prepotente, mas creio que ele me acha tão interessante como eu sempre o achei a ele. A ambos tivemos pena de não podermos passar mais tempo juntos.

Para agradecer ao Carlos o livro da Anais Nin aqui está um texto mais longo. Já agora, suavemente arrogante? Eu? … Achas? Nããã…

6 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Well done!
[url=http://qkqprxth.com/goma/nrzl.html]My homepage[/url] | [url=http://ralnwpdb.com/eypx/uuhq.html]Cool site[/url]

12:16 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Well done!
My homepage | Please visit

12:17 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Good design!
http://qkqprxth.com/goma/nrzl.html | http://fnarwybi.com/omju/dhnk.html

12:17 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Nice site!
[url=http://firdsqei.com/ayjq/lurl.html]My homepage[/url] | [url=http://fyxdixml.com/echu/cluk.html]Cool site[/url]

3:37 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Thank you!
My homepage | Please visit

3:38 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Thank you!
http://firdsqei.com/ayjq/lurl.html | http://ozxhpsid.com/lnqh/hhvo.html

3:38 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home