sexta-feira, novembro 26, 2004

FlorBela

Florbela, flor delicada e bela que nasceu de um instante lascivo e açucarado, entre dois corpos famintos de glícidos e glúteos. Dois que se misturaram e se confundiram, por livre vontade, anulando cada qual sua emoção, afim de atingirem um todo consensual de partilha e insanidade comportamental.
Florbela, flor delicada e bela que se deu em mim, após a confrontação com tão perfeito e apaziguador sentimento.

Por isto que me provocas, por isto a que me remetes, por isto te peço que voltes.