terça-feira, novembro 09, 2004

Carrera Gt e string La Perla

Entediada, ligeiramente deitada sobre a mesa pegajosa do café, senti a Ana proferir banalidades base, enquanto que o José concordante a entusiasmava com uivos e assobios, como se ela realmente falasse um dialecto culto e instrutivo sobre qualquer coisa interessante. Pois bem, o tema rondava namorados (parece-me!). A Ana defendia acerrimamente o seu xuxu doirado, mais as 7 quintas do dito, os 3 carros do pseudo sogro e as toneladíssimas de cremes da sogrinha, o Zé abria a boca de espanto a cada marca referida e rosnava que queria um pedacinho de todo aquele “bom partido” que a nossa queridinha tinha desencantado…
Eu continuava sem perceber onde raio é que aqueles dois queriam chegar com tamanhas futilidades, no meu íntimo, apesar de toda a aparente perfeição brilhante do romance da Aninhas, achava que era bem mais feliz com a minha relação da treta e as sempre habituais palavras banhadas, não a ouro mas, a carinho…que eu e o meu amor insistimos trocar!

Nauseada, sentindo-me totalmente démodé no meu amor singelo e desinteresseiro, levantei-me do tampo, onde quase adormeci e cambaleei, fugindo, entre as mesinhas e a confusão do café. Atrás de mim ouvi comentários soltos com palavras feias: “ciumenta”, “frustrada” disseram…Meu deus, até sorri!