terça-feira, agosto 03, 2004

adoro-o

Atiro as sandálias Manolo para o banco de trás do carro.
-Estás parva? Cuidado com a merda dos estofos!
Olhei para ele tipo parva, sim. Odeio a porra do amor dos gajos pelos carros. Cortou o clima todo.
Componho o vestido, agarro a minha birkin da hermes (prenda dele) e saio descalça do carro ao mesmo tempo que tiro um cigarro, e enquanto ele fica espantado a olhar para mim.
-Onde vais?
-Vai à merda. – praguejo com o cigarro nos lábios, absorta por uma luta inglória com o vento e com o isqueiro. – chega-se a mim e tenta agarrar-me pela cintura. – Larga-me porra! Gostas mais da merda do carro do que de mim. – e apercebo-me que estou a ser injusta. Carinho, paz… ternura… são coisas que nunca senti antes como sinto agora com ele. Sei que não me vai deixar desamparada de forma nenhuma, mas não é por já estarmos juntos que vou baixar a guarda. Gajas bonitas é o que não falta aí, não me posso arriscar a perder alguém tão generoso. Só de me lembrar do dia em que eu estava em baixo e ele me trouxe a birkin… adoro-o.