sexta-feira, julho 23, 2004

de volta ao Romances

Destino: Hotel Sirenuse em Positano, Itália.
Objectivo: Pensar. Nada como ferias para assentar ideias.
Na mala levo o portátil para escrever o que me passa pela alma. Ainda não percebo esta necessidade estúpida que tenho de pensar por escrito, ainda mais pensamentos sem nexo ou utilidade. Levo também uma obsessão pela solidão e pelo sentimento de não conhecer nada nem ninguém, de estar ligada a Portugal apenas através da net.
Fartei-me passado uma semana. Senti falta das compras com a Bo, das conversas vazias das festas, do barulho das luzes, da sede e enxaqueca da ressaca de martinis, de andar a snifar nas áreas vip…
Sozinha num restaurante com vista para o mar, a olhar para um prato de peixe, eu resolvi voltar e parar de me queixar da minha existência. Voltei nessa tarde para Roma e por sorte tinha um voo para Lisboa daí a duas horas. Rondei as lojas e embarquei. Ao meu lado no voo, viajava um senhor simpático, que reconheci das revistas económicas.
O guccigucci tem umas fabricazitas de pasta de papel, é cinquentão e é o meu novo amor. Estamos tão apaixonadíssimos que não nos conseguimos largar.