quinta-feira, julho 22, 2004

Cuspir futilidade

Quando a Coco Chanel declarou que a maior parte das noites ficava em casa para evitar más conversas e mau vinho, tinha razão. 

Toda a gente anseia entrar no interessantíssimo ambiente burguês da alta-roda lisboeta. Toda a gente mendiga por um insignificante convite cor-de-rosa…Toda a gente “mata” por um vestido chiquíssimo da Loja das Neias. E no final? Qual a recompensa? Três horas de prazer na feira das vaidades entre intriga e critica despropositada? Ridículo…Teriam mais dignidade se ficassem em casa numa privada e intima sessão de masturbação psicológica. 

 
Bodikea