domingo, fevereiro 01, 2004

O jantar das amigas

'Silk & Shine' - deve ser isto, penso. Pego no verniz e corro para a caixa menos concorrida.
Pois é. Fim do mês e as famílias abastecem-se de mercearia, carne, peixe, fruta e hortaliças nos hiper's que brotam por aí.
Já no estacionamento subterrâneo puxo p'la memória - K3? ou era antes K8? Pilares laranja... deve ser lá ao fundo. Finalmente dou com o carro, exactamente quando me preparava para entrar em pânico. Às vezes, pareço uma assalariada rural perdida entre estas novas modalidades de estacionamento automóvel. Sento-me ao volante, desembrulho o verniz e eis que, dentro dum carro em pleno parque subterrâneo, há uma tolinha que tenta fazer a sua própria manicure. As figuras a que me presto!...
Tudo isto porque daí a algumas horas tinhas combinado um jantar com essas tuas novas amigas. Não é muito do meu estilo perder tempo com este género de coisas, mas achei que a ocasião o exigia.
Oito horas certas estou à porta de tua casa. Desces com o ar indeciso de quem ainda vai voltar atrás para mudar a toilette.
Chegadas ao restaurante, bastou olhar (ainda que de soslaio) as tuas ditas 'amigas', para depressa perceber que não passavam de umas reles 'colegas' de faculdade. Umas miudinhas sequer ainda saídas da adolêscencia com uma conversa parva, absolutamente fútil, bastante para me fazer desejar sair dali o mais rápido possível.
A sobremesa tardava em chegar. Inventei uma desculpa e vim até à porta fumar o cigarro que me prometia acordar daquele pesadelo sem sentido. 'Que bem que deve estar na praia' - pensei.
De volta ao suplício, tentava controlar-me para não desatar a berrar com aquele pequeno (mas em número suficiente para fazer-me perder as estribeiras) grupo de raparigas histéricas.
Finda a patética refeição, reparo com atenção no bordeaux brilhante do verniz que, subitamente, me parecia o único sinal de sobriedade de espírito (apesar de côr, repare-se bem!) que dali restava.
Tou aborrecida contigo. Sei que, apesar de nem sempre parecer, és uma pessoa 'comedida e circunspecta' como, aliás, o dizes ironicamente para te meteres comigo, mas daí até te relacionares com gente sem algum género de conteúdo...
Estás diferente, ou serei eu que ainda não me habituei ao facto de saber que irei envelhecer antes de ti? É uma questão de idade? Ou de mentalidade? Ou de personalidade?
Mas pior que isso, é achar que te amo à mesma!