terça-feira, janeiro 20, 2004

Não se pode ter tudo!

Tenho um fetiche estranhissimo com os braços e as costas. É algo mais forte que a própria compreensão...portanto, quando o senti rodear-me, o meu primeiro instinto foi olhá-lo, olhar em pormenor aquelas formas arredondadas, com aspecto forte...que me poderiam estilhaçar as frágeis espinhas num único e descuidado abraço mais apertado.
"Missionária" aceitei-o no meio das minhas pernas, senti-o beijar-me, acariciar-me. Libertei, então os meus tentáculos finos e delgados, como que descobrindo e gravando cada centimetro do seu formato e da sua pele. Coitado do meu querido, não é perfeito o desgraçado...oh não se pode ter tudo!