sexta-feira, novembro 28, 2003

Lu e Bo ao telefone fixo (que falta de chá!)

-Bom tenho uma coisa para te contar…
-Sim…
-Tu não vais gostar muito…
-Oh meu Deus!!
-Espera… O N.L deu-me um anel.
-Hã?! Aquele velhadas pediu-te em casamento?
-Não! Ele já é casado.
-Ah…E isso vale dinheiro? P’lo menos dinheiro que se veja?
-Não sei… Vou hoje ao ourives.
-Oh, espera por mim.
Não vou esperar que venhas de Aspen.
Oh. Eu meto-me num avião, meu. Isto está uma merda. Ontem liguei ao FG e ele estava com alguém. Quer dizer… Disse que estava com o Alberto.
-E o Alberto estava ao pé de mim!
-Pois… E eu em casa, “dass”, no hotel, há espera dele toda nua na cama.
-Isso é tão mau…
-Vou roubar-lhe a carteira.
-E eu vou vender o anel e vamos pa’ algum sítio quente.
-yah! Vamos p’o Tibete!
-yah! Vamos conhecer o Buda!

quarta-feira, novembro 26, 2003

Sofismo

Apesar da igualdade de direitos e cenas assim do género, algo que está instituído é que é um ultraje se não for o gajo quem paga o hotel. Ou o jantar. Eu concordo. Acho que não é uma ideia assim tão obsoleta, e não acho que esteja subjacente a ideia que é uma forma de nos comprar. É bem. Quer dizer... até pode ser uma forma de nos comprar. Mas o que é que interessa? Até podem dar mais qualquer coisa.

terça-feira, novembro 25, 2003

street art -> new york






Louise Chin & Ignacio Aronovich

segunda-feira, novembro 24, 2003

A minha pior tentação


______

sexta-feira, novembro 21, 2003

Estes meu criticos são a pior f*da do universo desde jesus cristo, se levam uma coisinha tão natural cmo a lingua tão a serio...imaginem cmo não serão nos lençois!!!
Já n tenhu paxorra(olha um erro...dois...tres)...
Tomei, portanto, a decisão de abandonar este Romances( apesar de ser a administradora) e bazar para Aspen na companhia do meu kerido FG...pelo menos até o dinheiro acabar!





podem-m contactar através do +417481313

pernas... p'ra que te quero?


fotografia de luise chin

quinta-feira, novembro 20, 2003

Casa vazia: Bo no Porto! Lu em...?



O mesmo pesadelo vintage de á 4 ou 5 meses atrás, a mesma estação feia e suja, a mesma rua perigosa e inóspita,a mesma noite escura de bréu...e...o mesmo desconforto!
Mas tentei ultrapassar esse sentimento idiota, agarrei na minha "bagagem" e sai...Meu Deus, o Porto tem sempre este aspecto clássico de cidadezinha perdida á muito, sem inovações, no neo-classicismo: o cheiro, a luz fraca,a cor acinzentada,as fachadas decrépitas e rigidamenet simétricas, os blocos de apartamentos baixos e inesteticos.
Os únicos sinais de civilização (ou geração) "Duh" vinham dos carros estacionados que entupiam a estrada empedrada e das roupas sumptuosas de algumas (poucas) pessoas que passavam de passagem.

terça-feira, novembro 18, 2003

segunda-feira, novembro 17, 2003

Vesti um casaco de fecho dele, Springfield, cinzento com capuz; abri o fecho naquela atitude provocadora de lolita mimada e perversamente inocente...Deixei-o mergulhar no meio do meu peito, senti a sua língua á volta do mamilo, senti a lingua á volta do seio, pedi-lhe que trincasse...ele trincou, chupou e eu gemi...estiquei o corpo para trás e serpenteei no meio dos seus braços...
Amaldiçoei aquele carro, aquele sitío...fdx...já n consigo mandar uma f*da num banco de trás...por favor...abra-se o Ritz!!!


domingo, novembro 16, 2003

Uma noite...

Nas ruínas de uma igreja à beira do Castelo de Montemor-o-Velho, lugar de um idílico basto e similar àquela beira-mar a que me levaste, eu perdi a compostura.
Perdi a compostura enquanto o nosso beijo se tornava mais sôfrego, mais intenso, enquanto me desnudavas e palpavas a minha barriga e os meus seios com a tua língua, enquanto me despias as calças... Ali, nua, com a brisa fria e aquela coruja a piar e a espiar-nos, e aquele sítio...
Mais tarde no carro senti-me tão bem... Ambos carentes de carinho, a dar mimos um ao outro muito abraçados... aos beijos e a murmurar... Foi tão bom!

quarta-feira, novembro 12, 2003

a minha 1ª vez


Comecei a despir-me devagar pelo medo. Tinha motivos para ter medo... expor-me assim era diferente. Já ti­nhamos falado disso e lembro-me que disse k o fotografo também se expõe. Não percebi.
- Não quero que fotografes o meu rosto.
Assentiu. Virei-me para ele desconfortável e inibida. Todas as pessoas são inseguras às vezes e eu sou insegura sempre, mas o olhar atento dele percorria o meu corpo e aparentava adoração e contemplamento. Reconfortou-me. Desinibiu-me.

terça-feira, novembro 11, 2003

delicado, simples e bonito

segunda-feira, novembro 10, 2003

Abraço

Gosto de abraça-lo e de sentir o seu tronco nu e musculado de encontro aos meus seios. Gosto de sentir os seus braços fortes a rodearem-me enquanto apoio a minha cabeça no seu peito. Gosto da excitação e do sentimento de segurança provoca em mim.

Já imaginaram a Bo num festival de verão?

Pois é tal fantasia vai ser possivel no próximo Vilar de Mouros...Bodikea Lashley invadirá akele relvado rustico puxado o seu trolei de cima dos seus enooooormes saltos....e agarrando,como n podia deixar de ser, a sua vuitton!!...É que em plena crise dos vinte anos Bo decide experimentar um pouco da rebeldia, da loucura e do chafurdar da sua geração....
Então, para o ano, se virem por lá uma loura a dormitar no meio da relva agarrada a uma vuitton, sou eu!!!!curtindo o verde (com a cabeça toda fo*ida pelos quimicos)....


sábado, novembro 08, 2003

no title

- Quero este, é lindo! Condiz tanto com os sapatos que estão na outra loja...
- Vai lá experimentar?
Fui. É óptimo ir fazer compras com alguém que as pague. E o N.C. paga.
Entro no grande provador e encosto a larga porta de madeira. Tiro as botas e estou a desapertar a blusa quando ele entra. Não o demonstro, mas sinto-me incomodada. Dispo-me devagar. Peço-lhe para me ajudar a desapertar a saia atrás e as nossas mãos tocam-se. Deixo-a cair. Desaperta-me o soutien e ajoelha-se à minha frente a lamber-me os seios e a barriga enquanto desaperta as calças.
Quando finalmente sai deixa-me a vestir o bonito e caro vestido que eu tinha acabado de pagar...

Gosto...

Gosto de sentir a fraqueza causada pela inanição. Não sinto a menor falta da comida em geral, porque o sentir a roupa cada vez mais larga é uma das sensações mais viciantes. Não vejo diferenças ao olhar-me no espelho mas sinto-me magra, sinto-me bem.

sexta-feira, novembro 07, 2003

Post com dedicatoria

Despi aquela roupa tristonha em frente ao espelho panorâmico, “Meu Deus, como é que fui capaz de sair de casa assim?”...Vi-me despida, em tons rosados pálidos, vi o meu peito arrebitado e pequeno (quase infantil), vi as minhas cuecas simples brancas, vi o meu cabelo liso e loiro, vi as minhas ancas largas e carnudas, vi-me toda...vi o meu peito de novo! Senti-me obcecada com ele e com a sua forma...Rodeei o mamilo com o indicador até este ficar duro e empertigado...fechei os olhos enquanto continuava a acariciar os meus próprios seios e ...senti! Senti-me de novo naquele sitio escuro, sentada em cima dele, com o braço no seu pescoço em jeitos de carinho, e com a face atirada atrás enquanto desfrutava do prazer provocado pelo vai vem da sua língua na minha pele fina e cálida da mama...
Soltei um suspiro, tremi, abri os olhos e fixei os seus em jeitos de desafio (Que bonitos olhos). “Para” – disse-lhe!...Ele não ouviu...

Changing mood

Acordo da melancolia num longo banho. Não de emersão, eu gosto de sentir a pressão da água do duche no meu corpo. Saio e vou-me limpando à frente do espelho enquanto me observo. Agarro na escova e penteio-me. Vejo-me enquanto penteio demoradamente os meus cabelos encaracolados e compridos que caem sobre os meus seios. Sinto-me bonita assim.

quarta-feira, novembro 05, 2003

Um voto de confiança nos produtos nacionais



Este espumante nada deve ao Moet de Chandon.

Bo look what i had found, com quem é ela parecida?

Sory

Na rubrica peças de um puzzle era suposto que eu revelasse alguns aspectos da minha personalidade. Creio que todos somos o resultado de um acumular de experiências , pequenas peças do puzzle que somos. Mas são tantas essas peças, tão simples e intimas que, ao revê-las, descobri não terem interesse para aqui expor. Não retiro os textos já publicados, mas aviso o seu efeito redutor.
Fica aqui a nota.

terça-feira, novembro 04, 2003

Gosto...

"Gosto quando me enfias a língua toda pela boca..."