terça-feira, outubro 21, 2003

Os homens são tão estranhos

Costumavamos dançar um tango antes de cairmos na cama e na luxuria. Era uma espécie de ritual erótico desenvolvido ao longo de anos de encontros furtivoros e rápidos.
Uma vez, no final de cada mes, o meu "financiador"(da uni) descia dos latifundios "dourados" do Douro e mergulhava nos lençois "cor-de-vinho" da minha cama de dorsel.
Dizia á companheira de todos os dias que ia é empresa vidreira de Lisboa verificar a produção e ligava de plena auto-estrada nervoso e afoito: "Amor, estou aí em tres horas!".
Jantamos no "cantinho" do Bairro alto, subimos ás tascas de Alfama para disfrutar dos fados pesados das almas e "corremos" devagar para casa...como que...aproveitando os instantes preliminares numa estranha constante sedução desnecessaria!
Em casa, dançamos um tango espanhol...foi ele que me ensinou, costumava dizer que era bom pegar-me as costas e...que era um desperdicio: "...umas pernas tão longas, tão esbeltas, sem musicalidade..."
Depois?Fazia uma transferencia...e...mandava postal das colinas:" Para a universidade"!



Nunca percebi bem...porque se dava ao luxo de perder tempo com o tango ou com os jantares...Deve ser uma espécie d orgulho masculino, como uma auto-ilusão...talvez...o ajude a reforçar a ideia de que...~me seduz realmente...e...que não é preciso pagar para me ter!!!!
Estranho!
Eu alinho!Não quero perder a bolsa!