sexta-feira, agosto 15, 2003

Vou para casa

- Reparem, reparem bem naquela mala.
- Qual? Onde?
- É da nova colecção da Gucci.
Olhei para a Bo sem disfarçar o tédio. Estou num ninho de cobras, cada qual mais bonita e bem vestida que a outra. Hoje não tenho paciência. Estou exasperada, farto de todo aquele glamour elitista e fútil. Apago o cigarro e levanto-me.
- Vou para casa.
Quando finalmente chego a casa, atiro a carteira para o chão, tal como tudo aquilo que me aperta: os brincos, o soutien, as malditas sandálias de saltos agulha, o ligueiro e as meias de liga. Agarro num copo de Whisky e saio para a beira da piscina.
Experimento a água com o pé descalço. Fresca e tentadora. Vestida, vou descendo os degraus da piscina até à água me chegar à cintura. Pouso o copo na margem e mergulho. Fico ali a boiar... o vestido colado à pele... o cabelo espalhado á volta da cara em jeito de algas... os olhos fechados...
- É parva! – Ouço alguém dizer. Assusto-me, perco o equilíbrio, ponho-me a esbracejar e farto-me de engolir água. Olho para as portas da sala e vejo a Bo a olhar para mim com algum amigos nossos.
– É parva! É parva!