sexta-feira, agosto 01, 2003

Um diário antigo

Estava a dar uma volta à roupa de Inverno quando descobri um diário antigo. Abri-o, desfolhei-o e reli nele imagens e histórias. Chamou-me a atenção este trecho:
“Nada como ficar até ás 3h 40 da manhã a fazer simplesmente nada agarrada ao comando da televisão estendida no sofá. Agora vou adormecer aqui, com o diário aberto, sem medo de alguém ler os meus pensamentos. Vestida. Iludida com um pouco da maravilha que é adormecer independente. Para acordar daqui a 3 horas ou menos e apagar os vestígios do sonho. Talvez um dia venha a adormecer nas mesmas condições e acorde em condições diferentes.»