quinta-feira, julho 03, 2003

um amigo

- Vamos fazer um brinde!
- Lu, está completamente embriagada…
Sorrio.
- Não… acha? Vamos é fazer mais um brinde. Um brinde à… à vida! A esta puta de vida.
- Acalme-se. É melhor ir para casa. Como veio? Quer que a leve?
- Eu trouxe carro, mas eu não quero ir. Quero ficar. Fique aqui comigo…. Beba mais um copo.
- Não, eu vou e você vai também. Onde está o seu carro? E as chaves?
- Não.
Levanto-me e tento virar-lhe as costas mas vejo tudo à roda. Estou tão tonta… Agarro-me à mesa e volto a sentar-me. Ele levanta-me e segura-me.
- Anda.
- A minha Vuitton Trotteur …
- Está aqui.
Pus os braços em volta do seu pescoço e fechei os olhos. Conduziu-me ao carro e sentou-me no banco à frente. Sentou-se a meu lado.
- Onde me levas? – Perguntei-lhe.
- A casa.
Deixei-me levar. Quando chegamos, abriu-me a porta do carro e amparou-me até à porta de casa. Abriu-a e pegou-me ao colo até à cama. Eu não tinha reacção. Lembro-me que me descalçou as sandálias e tirou-me os cintos e os brincos. Abriu a cama e cobriu-me.
- Obrigada, és um querido. – Gemi.