sexta-feira, julho 11, 2003

Scrable e Champanhe

Apanhei uma bebedeira! Eu sei que não é nenhuma novidade mas desta vez foi muito má, quer dizer, pior que as outras. Enfim... um descalabro total!
Embebedei-me á base de bacardi lemon, açúcar e vodka, não me perguntem qual e o sabor, não faço a menor ideia pois quando comecei a dar nos shots já tinha a garganta adormecida com um bom whisky puro! E tudo começou com um mísero jogo!
Eu e a Lu sentámo-nos à beira da piscina com duas taças de champanhe como adereço, abrimos o tabuleiro do Scrable e começamos a jogar. A meio do jogo decidi formar a palavra “fod*” mas a Lu considerou a palavra inválida e desatou com um sermão de Santa Antónia aos peixes “Esta palavra não conta!”, “Porquê?”, ”Porque é uma injúria contra o Senhor, raios pá, isto é uma asneira!” Olhei para ela de boca aberta, revirei os olhos “Estás bêbeda!”, “Não estou!”e dizendo isto dirigiu-se á garrafa de champanhe que estava acomodada num balde de gelo junto ao guarda sol mas em vez de servir as taças agitou-a rapidamente, apontou para mim e começou a encher-me daquela espuma branca... “Oh Lu! Pára... Pára... olha o meu bikini La Perla... Pára. Tu... Tu sabes quanto custa uma garrafa dessas?”, ela finalmente parou “É o PP que paga... tem que pagar bem aquelas coisas humilhantes...”
Parei de rir, senti um nó na garganta, senti uma tristeza imensa, senti que ia desfalecer em lágrimas... Corri para dentro de casa, abri repentinamente as portas do armário do bar, tirei uma garrafa de whisky e olhei para ela até que a Lu apareceu sem fôlego! Abraçou-me e disse: “Vamos embebedarmo-nos! Vai ficar tudo bem”